04/10/2012

Tentando driblar o estresse

Hoje completa três semanas desde a chegada da Fafá aqui em casa.
Como boa otimista, acreditei que com o tempo as coisas se ajeitassem dia a dia.
Quando acolhemos o Rock, que tinha menos de um mês, os ajustes foram mais tranquilos.
O Alemão tinha 15 anos e queria paz, comida e água fresca.
A Jean tinha completado um ano e ainda era uma adolescente. Fez muito fuzz para o pequeno mas não resistiu a tanta disposição, carisma e carinhos (nunca tive uma gato tão carinhoso como ele) e o aceitou como um irmão mais novo.
Infelizmente, nem o Alemão e nem o Rock dividem mais essa casa com a Jean.
E do jeito que as coisas estão, acho que ela preferia continuar reinando sozinha.

Tenho a impressão que as duas não vão se dar bem tão cedo.
A Jean até chega perto, cheira o rabo da Fafá e depois faz fuzz.
Ela está assustada e nervosa com essa nova moradora.
Minha amiga Preci já tinha me orientado a deixá-las separadas nas primeiras semanas. Não fui tão rigorosa e acho que isso só atrapalhou ainda mais.
Depois conversei com a Sheila Moraes pelo Facebook que me disse ser melhor prender a Fafá e deixar a Jean solta.
Estava fazendo o  contrário porque a Jean fica mais tranquila dentro do quarto e a Fafá ainda não estava educada quanto as necessidades fisiológicas.
Só agora nessa semana é que ela elegeu o ralo da varanda para fazer o 1 e o 2; na caixa sanitária ela as vezes faz xixi.

Confesso que minha conversa com a Sheila foi uma última tentativa de administrar as coisas por aqui.
No domingo tinha resolvido que não ficaria mais com a Fafá, já que no trabalho do meu marido tem uma pessoa que cuidaria dela. Nós ficaríamos responsáveis pela comida, remédios e quando os pequenos nascessem, encontrar novos lares para eles.
Pensei nisso porque vi a Fafá mais de uma vez bater na Jean e deixá-la encurralada , amedrontada.
Mas resolvi aguardar essa semana.

A Fafá é uma gatinha doce e carinhosa.
Descobriu que a cozinha é o melhor lugar para ficar enquanto eu estou lá.
Tenta subir pelas minhas pernas pra me avisar que quer comida (imaginem quantos arranhões já tenho).Ela não gosta de Wiskas Sachê ( acho ótimo porque assim a Jean sabe que eu só dou dessa comidinha pra ela), gosta de ração dura e incluí também frango cozido, que ela adora.
Ontem dei um pouco de arroz com o frango e ela comeu tudo.
A Fafá descobriu o sofá essa semana e fica só no mesmo cantinho.
Tem medo de vassoura e não pode ouvir o barulho de fósforo sendo aceso que ela sai correndo.

Espero que da próxima vez que postar, traga boas notícias.

Fafá é curiosa como qualquer gato e não podia deixar de "xeretar" os armários.
Quem sabe encontraria umas comidinhas....rs!
Ainda faz questão de ficar quietinha pra posar para a foto!

6 comentários:

Blog da Pink disse...

Eu imagino como deve ser difícil essa adaptação. A gente fica sonhando que elas vão se aceitar e amar mas nem sempre é assim. A minha irmã tentou de tudo mas não conseguiu adaptar a gatinha que ela adotou ao gato que ela já tinha (o Toni) e ela acabou ficando na casa da minha mãe.
Uma dica que já ouvi falar que ajuda é colocar 1 gota de essência de baunilha na nuca das duas e assim elas ficam com o mesmo cheiro, tem que tentar de tudo! Será que talvez depois que os gatinhos nascerem elas se acalmam? Mas ainda tem o problema do banheiro e isso eu não tenho a menor ideia do que fazer mas a Pink fica brava quando eu mudo a areia e faz em cima da minha cama...
Boa sorte pra vocês!
Beijos
Laís

Karina disse...

Adorei a pose da Fafá pra câmera! Imagino pra você como deve ser difícil administrar tudo isso....mas acredito que vai dar certo!
Beijos

Marilia disse...

Hahahahahah!
Pestinha mais linda!

Milene Widholzer disse...

Imagino como deva ser complicada a adaptação, mas torço para que logo dê certo. Deve dar uma ansiedade querer que sejam amigas logo, que desfrutem da companhia uma da outra, mas, as vezes (rsrs), elas nos contrariam e resolvem fazer tudo ao seu tempo.

Bjs

Aline Senra disse...

Cláudia, li seus posts sobre a Fafá e a chegada dela como se fossem uma novela! Não consegui parar de ler! rs
A Fafá é uma graça e fico pensando em como a Jean deve estar estranhando ter companhia na casa. Será que ela sente que a Fafá está gravidinha também?
É preciso paciência e disposição para lidar com a situação. Essa questão de adaptação é uma das coisas que me preocupam quando penso em adotar uma companhia para a Chloe... Estou torcendo para que as coisas se ajeitem. E aguardando novas notícias!
boa sorte!

beijos

eva disse...

Claudia,
A fase de adaptação é mesmo muito dolorida. O Shake já conhecia a Juju de uma outra temporada que ela passou lá em casa e de cara ele adorou ela, ficaram amigos em 2 dias ( ela demorou mais para aceitar ele). Quando a Juju voltou para casa dela, ele ficou triste e eu pensei em adotar uma gatinha. Fui amadurecendo a idéia até a Tixa chegar. Eu pensei que ele ia adorar e fiquei muito decepcionada quando ele destestou a idéia. ele teve um comportamento parecido com a Jean, ficava no quarto de baixo da cama o dia inteiro, se afastou da gente. A Tixa tentava ser amiga e ele não queria papo. Antes dela chegar ele teve uma distensão muscular na pata, quando ela veio aqui para casa ele resolveu mancar novamente, só que acho que esquecia e mancava de patas difrentes a cada momento. Cerca de 1 mês depois que ela chegou, chamei a veterinária aqui em casa para olhar o shake e dar a segunda dose da vacina da Tixa. Ela examinou ele e não encontrou nada de errado. Quando ela foi vacinar a Tixa, a danadinha gritou e chorou como uma desesperada, aí o Shake veio olhar o que estava acontecendo e pela primeira vez chegou perto da Tixa e deu uma LAMBIDA nela, quase chorei de felicidade, daí em diante ficaram amigos e se tornaram irmãos. Ah! E ele parou de mancar.
A Tixa e a Juju não são amigas, mas levaram cerca de 1 mês também para se respeitarem, e hoje fica cada ums na sua sem sofrimentos, e com algumas brigas esporadicas.
Desculpe o comentário enorme, mas os gatos tem o tempo deles e a gente fica ansiosa pela amizade imediata, de mais um tempinho. Ela esta grávida e ja deve ter os bbs logo, e na sua casa ela ja se adaptou, se depois que nascerem nada se resolver aí vc pensa na outra solução.
Eu também sofri com a adaptação Shake-Tixa, fica pensando que agi mal, que estava prejudicando o meu adorado filho único, mas quando eles finalmente viraram amigos vi que foi o melhor para eles.
Eu também não fiz uma boa adaptação deixei todo mundo junto logo de primeira, e nem separei os potes de alimento e água, quando fui pesquisas sobre isso já era tarde.
Espero que tenha te ajudado o depoimento de uma mãe de gatos.
beijos