10/02/2012

Criando um mundo melhor


A primeira vez que participei de grupos de meditação faz mais de vinte anos.
Ao longo desse tempo, alterno  períodos que nem me lembro de praticar regularmente e em outros que tenho um pouco mais de disciplina (normalmente quando não estou muito bem)
Ultimamente, exercitava nas aulas de ioga ou em casa, sem qualquer técnica definida.
E hoje conheci a meditação através de um monge budista.
É um curso de seis aulas, com o objetivo de ensinar ou ajudar a aprimorar a prática de meditação.
A primeira coisa que o monge disse é que todos temos a capacidade de fazê-lo.
Se a pessoa é mais agitada, se acha que não consegue se concentrar e ficar parada durante muito tempo, mais um motivo para a prática.
Orientou ainda que devemos deixar de lado a síndrome de Gabriela, aquela que diz:  eu nasci assim, eu vivi assim, vou ser sempre assim. Nós temos a capacidade de mudar.
Fez um paralelo dos exercícios físicos que fazemos numa academia com a prática da meditação; para que eles tragam o resultado desejado é preciso saber como fazê-los e qual o objetivo a ser alcançado.
Falou também dos benefícios da meditação no dia a dia das pessoas e pra quem convive com esses praticantes.
Para que possamos estar felizes a maior parte do tempo e poder trazer felicidade para todas as  pessoas.
Lembrando que essa felicidade não corresponde ao que normalmente atribuímos a ela, uma pessoa falante, sorridente, pulando de alegria e todos esses clichês divulgados, e sim no sentido de ter mais serenidade, ser menos atingida por sentimentos de raiva, inveja, medo.
Gostei bastante das explicações dadas por ele e acredito que por ter meditado hoje, meu dia ficou bem mais tranquilo.

E você, já teve alguma experiência parecida?

                                                                 Monge Kelsang Drime

4 comentários:

Blog da Rutha disse...

Gostei muito do post, eu já tentei fazer yoga mas não gostei muito, eu não conseguia me concentrar nos movimentos. Agora lendo o post entendi que precisamos aprender a meditar e vou dar outra chance às minhas meditações, acho que vai fazer muito bem à minha vida.
Ótimo fim de semana pra vocês !
Beijos
Laís

Taís disse...

Menina, sabe que eu até tenho curiosidade de fazer? Mas nunca tentei por achar que não me adaptaria. Acho que não consigo ficar ali, sentada, sem pensar em nada, me concentrando. Embora eu ache q se conseguisse isso, iria me fazer muito bem...
bjos

Claudia Goulart disse...

Laís,
Acho que o grande erro é a gente querer fazer tudo certinho da primeira vez.
Como o monge disse, tudo é questão de treino e técnica.
É preciso exercitar e ir aprimorando.
bj

Silvia disse...

Oi Cláudia!!! saudade de passar por aqui! Muito bacana o post, e acredito muito nos benefícios da meditação. Neste mês de janeiro voltei para as aulas de ioga, foi maravilhoso, mas precisei novamente de parar. É uma delícia parar para o relaxamento no final da prática, sem explicação. É muito legal o que este tempinho de quietude, de contato próprio e descomplicado traz de bom para o resto do dia.
Um beijão pra vocês e um lindo ano também, já que não passei por aqui ainda!