08/05/2011

Não se dá título ao amor

                                                                  Things I Love


Peço licença para transcrever um texto que recebi hoje da pessoa mais importante na minha vida. Diz assim:

"Não se dá título ao amor"

Chego cansada da escola e me sento mais uma vez em frente ao computador tentando pensar em algo que possa escrever para você, aliás essa é uma rotina que vem sendo seguida todos os dias faz pelo menos uma semana.
Curioso como não consigo pensar no que falar pra pessoa mais importante de minha vida, aquela que me apoia, me educa, me ensina a crescer como uma mulher digna, me dá carinho e "patada" também quando necessário, a pessoa que me fez assim como eu sou e está cada vez tentando me tornar uma pessoa melhor.
Mãe, me desculpe por todas as brigas e discussões que tivemos, desculpe se alguma vez te decepcionei e te desobedeci, realmente o dia das mães é mais um dia comercial, só que é também um dia pra gente renovar nosso relacionamento, um dia pra fazermos diferente e crescermos com isso, admito que na realidade não foi a chegada desse dia que me fez repensar algumas coisas e lembrar mais uma vez de sua importância e sim, um acontecimento com uma conhecida que me fez pensar o que eu seria sem você.
Mãe, eu sei que meus textos melhoraram muito e gostaria de pedir desculpas por esse não ser nem de longe o melhor deles, afinal ainda continuo com dificuldades para escrever algo realmente bom pra alguém de quem me orgulho muito e já fez tanto por mim. Resolvi escrever mesmo só para que toda vez que você leia essas palavras se lembre do que você significa pra mim e que confio muito em você.
Lembre-se também que o meu amor por você não tem explicação, acho que é a mesma coisa com todos os outros filhos, porem cada um com seu jeito.
Quando meus amigos vem aqui em casa e te elogiam, dizem que você é uma fofa, as vezes eu rio e fico pensando comigo mesma que você não é assim tão fofona mas que eu sei que me ama, sei que se preocupa comigo, e apesar de não ser a mãe mais grudenta e carinhosa do mundo, algo que confesso nem acho tão bom, você é aquela que me faz mais feliz, com todos os seus conselhos e conversas é como se me desse mil abraços e beijos.  Então, é isso, eu te amo muito e Feliz dia comercial, porém data mais justa pra você"

Hoje dia das mães, apesar da data comercial, como diz minha filha Clarice, fui surpreendida com ela cantando e tocando para mim a música "Fico assim sem você", conhecida na voz da Adriana Calcanhoto.
Pra quem não está lembrando da música pelo título é aquela que fala: "...Neném sem chupeta, Romeu sem Julieta, Sou eu assim sem você..."
Também ganhei o livro "As nove vidas de DEWEY". Por que será né?
Aproveito pra desejar um dia descontraído e alegre para todas as mães.
E penso que ser mãe não é só gerar uma outra vida mas cuidar, orientar e amar.

4 comentários:

Felina disse...

Oi Claudinha linda a carta de tua filha, como ela tão bem disse é apenas uma data comercial, só que acho que serve para nos lembrar de tudo que vocês mãe fizeram e fazem por nós.
meu marido hoje disse que eu não era mãe, respondi como não e esses 8 animais que eu cuido, dou carinho, comida, limpo caixa de areia e jornal, dou remédio, sou muito mais mãe do que muitas mães de filhos humanos que os deixam em lixeiras ou recussam porque vieram 3 filhos e não apenas os 2 desejados, ser mãe é amar e cuidar, não importa a espécie a merecer esse amor.
bj e bom restinho de dia das mães. to louca pra ler esse livro :)

Gisa disse...

É claro que não é preciso dar à luz para ser mãe! Amei a cartinha; é muito bom quando nossos filhos nos enxergam dessa forma. Acho que certas datas, apesar do lado comercial, servem para repensarmos muita coisa. Beijos mil, com a certeza de que tiveste um lindo Dia das Mães.

Andrea Sassaki disse...

Como não amar alguém como você????....
Feliz dia das mães atrasado.
Um beijo!

Claudia disse...

Felina, Gisa e Andrea,

Obrigada pelos comentários!
Nada melhor que um feedback do filhos pra saber onde estamos errando e acertando.
Alias o ideal é que todas as relação fossem pautadas por esse princípio, acho que complicamos o que poderia ser bem mais simples.
bjs