23/11/2012

5 - 4 = saudade

Se já estava difícil postar sobre a ida dos filhotes para suas novas famílias, agora que o líder também foi doado, parece que ficou mais difícil ainda.
O post que escrevi ontem começa na linha debaixo.

Na terça-feira foi feriado no Rio de Janeiro e três dos cinco gatinhos encontraram um novo lar.
O pretinho 1, agora Leopoldo, seguiu para Laranjeiras, seu novo bairro, foi morar com a Marina e sua família.
Ainda não temos foto mas em breve vou colocar uma aqui.
As notícias sobre ele é que ficou tudo bem e rapaz responsável, estreou a caixa sanitária sem comer a areia.

Ainda pela manhã Aline e Luiza escolheram seus novos amigos.
A Aline estava encantada com os filhotes e ajudando a prima a segurá-los (a Luiza é adotante de primeira viagem) quando percebeu que um gatinho pretinho 2 estava deitado em seu tênis; colocou-o no colo e lá ele dormiu tranquilamente até ser colocado na caixa de transporte para seguir com sua nova casa.
A Luiza ficou um pouco indecisa ao contrário do Alfredo que já tinha feito a sua escolha.
Escrevendo agora ainda me emociono em pensar naquela cena.
Cinco mulheres na sala, seis gatos (incluindo a mãe), todo mundo falando, rindo, alguns dos filhotes assustados e o Alfredo (nome que havia sido escolhido antes de conhecê-lo) deitado tranquilamente ao pé e depois no colo da Aline.
A Luiza se decidiu pela andarilha que agora será Lili.

O texto foi interrompido na linha acima e não tive mais disposição para continuar.
Me lembrei de como a Fafá, na terça e ainda na quarta-feira, miava um miado sofrido.
Ela procurou pelos filhos para que todos fossem mamar mas apenas dois estavam com ela, líder e preferida.

Mais tarde, ainda na terça-feira, recebi ligação para mais uma adoção, agora seria o líder.
Minha filha pediu, argumentou, cedemos num primeiro momento e resolvemos que ficaríamos com ele.
Analisando melhor a situação, decidimos que ele ficaria bem com a Luiza (que preferiu ficar com um casal) além da companhia da Lili.

Ele seguiu a pouco para seu novo endereço e descendo com ele pelo elevador, fui conversando baixinho, dizendo como foi bom tê-lo conhecido e que em breve pretendia ir visitá-lo e a irmã.
Na terça-feira, achei que tinha tirado de letra a separação até ouvir o miado choroso da Fafá e hoje foi mais difícil ainda.
O líder é uma figura cativante e conquistou a todos nessa casa, espero sinceramente ter feito a coisa certa.

Agora, estamos nós e as meninas.
Acho que a Jean está menos estressada e o líder até ganhou uma lambida ontem.
Ela e a Fafá já conseguem ficar no mesmo espaço sem brigar e se tem algum humano, a harmonia dura por mais tempo.
A preferida também será doada, caso alguém se interesse e se fosse possível e se tudo der certo (depois de castrada, sem os filhotes) acho que a Fafá poderia continuar por aqui.
Depois dessa foto o líder pediu para ser adotado. rs!
líder e preferida







6 comentários:

Milene Widholzer disse...

Nossa Claudia, tô eu chorando litros aqui.
Eu já imaginava que a hora de dar tchau seria difícil, mas os bonitinhos foram adotados por boas pessoas e isso é importante.
Pior seria se Fafá não tivesse sido acolhida por vocês... teria tido seus filhinhos na rua, como acontece com muitas gatas e os bonitinhos talvez nem tivessem sobrevivido. Vocês foram maravilhosos!

Muitos beijos

Karina disse...

Se eu tô emocionada ao ler o seu post, fico imaginando você...
Por outro lado, outras pessoas terão o privilégio de conviver com esses gatinhos tão especiais.
Tomara que Fafá e Jean fiquem amigas e possam conviver pacificamente.
Beijos

Blog da Pink disse...

A Milene e a Karina disseram tudo, você teve uma atitude maravilhosa de acolher a Fafá e ensinar os gatinhos a amar. Eu sei como é triste se despedir de criaturas tão doces e travessas, parece que a casa fica totalmente vazia e triste mas eles vão encantar outras famílias e mostrar porque os gatos são tão divinos! Só posso desejar muitas felicidades a todos eles.
Beijos
Laís

Gisa disse...

Oi querida, saudades... Já andei por aqui antes, mas minha vida anda meio de "pernas para o ar" e com muitas mudanças profissionais. Hoje não posso deixar de comentar e te dizer que te admiro ainda mais, por tudo que fizeste por essa linda família felina. Já passei pela experiência da separação e sei o quanto dói entregarmos criaturinhas com quem convivemos desde seu primeiro dia. Felizmente sabes que eles estão com pessoas que os amarão também e poderás manter contato e acompanhá-los. Beijo grande

eva disse...

Claudia, também fiquei com o coração paertado lendo seu post e imagino como deve ter sido dificil para você e a Fafá. No entanto devemos pensar que eles encontraram lares e pessoas que lhes darão amor e você cuidou muito bem dos pequenos. Boa sorte para todos.
beijos

Aline Senra disse...

Nó na garganta aqui. Fiquei emocionada com seu relato.
Você fez algo maravilhoso por essa familiazinha felina. Pense em como esses filhotinhos irão crescer, lindos e forte, amados por suas novas famílias. Se não tivessse acolhido a Fafá, sabe-se lá o que poderia ter acontecido...
Deixo meu consolo e carinho para você.
Beijos