02/04/2011

Adeus Amigo!


Perto de onde eu trabalhava tinha uma pet shop e sempre que possível, dava uma passada por ali pra ver os filhotinhos que estavam a venda ou comprar alguma novidade para os meus gatos.
O dono da loja tinha também um canil que criava Dachshund ou Teckel e um dia, depois de me ver inúmeras vezes por lá, me fez uma proposta: "Essa raça é muito dócil, você deveria ter um!"
Disse que já tinha dois gatos, uma filha de 3 anos e trabalhava o dia inteiro. Apesar de adorar cães e gatos seria mais uma fonte de trabalho.
Até que um dia apareceu na vitrine um cachorrinho um pouco mais velho que os demais.
Simpático, como todo Dachshund, me olhava com jeito carente, logo o dono da loja apareceu e perguntou se eu gostaria de ficar com ele. Disse que o cão tinha sido devolvido pela família que o havia comprado e que eu não precisava pagar por ele.
Fiquei doida. Liguei para o meu marido falando da novidade e decidimos que seria melhor que toda a família fosse ver o cão e depois resolver o que fazer.
É claro que só teríamos uma opção: levar o cahorro!
No dia que fomos buscá-lo, ele estava perfumado e com aquele jeito carente que só os cachorros sabem ter.
Viveu feliz no Bairro Peixoto da infância até a idade adulta.
Tinha muitos amigos na praça, participava de aniversários e outros eventos caninos.
Como era filho de cães campões da raça (tinha certidão de nascimento e de pedigree), era sempre elogiado, paravam a gente na rua pra dizer como ele era bonito. E como era muito dócil e simpático cativava a todos.
Uma outra característica do Spike era receber bem a todos. Gostava de gatos e era amigo deles.
Cada novo gato que chegava em nossa casa, ele era o que mais ficava feliz por ter outro amigo pra correr e brincar.
Foi assim com o Tigre, depois a Jean e o Rock.
Depois que nos mudamos de Copacabana, em 2005, ele teve um crise de coluna e foi diagnosticado hérnia de disco, que foi tratada com remédios, acunpuntura e muita dedicação e carinho.
Nesses últimos seis anos ele foi piorando gradativamente. As vezes voltava a crise na coluna ou era atacado por dermatite.
Na última consulta feita há dois dias, descobrimos que ele tinha sopro no coração e problema renal.
Foi internado na quinta-feira a noite e quando fizeram os exames necessários para a cirurgia, que aconteceria ontem, os veterinários aconselharam a não prosseguir com o tratamento.
Caso ele conseguisse se recuperar da cirurgia, não teria qualidade de vida.
Optamos por abreviar seu sofrimento em consideração a todo o carinho e dedicação que o Spike nos deu em todos esses anos.
Ele completria 12 anos no dia 20 de Junho.


Na primeira foto Spike e Tigre, na segunda ele e o Rock dividindo a refeição.

10 comentários:

Parlapatão disse...

Sinto muito.

Tenho um desses, lindo e dócil também.

Meu melhor amigo.

Que fique apenas as boas lembranças.

Anônimo disse...

Que tristeza...
Quando perdemos um amigo perdemos parte de nós também.
O importante foi ele ter tido a oportunidade de ter uma família e ser amado.
Abraço,

Felina
dicasfelina@hotmail.com

Andrea Sassaki disse...

Ai Claudinha....nem tenho o que falar....
O ceus dos cachorrinhos esta mais brilhante, agora.
Um beijo e um abraco bem apertado em voces todos.

Felina disse...

Claudinha sinto or tua perda, é sempre muito triste perder amigos tão queridos, fique sempre com o lindos momentos vivenciados que isso que importa no final das contas mesmo.
beijo no coração de toda família.

Prosopopéias Cintilantes disse...

Oi, Claudia
Sinto muito mesmo pelo Spike. Nossa, nem sei o que falar. Acho que a única coisa que vale de consolo nesssa hora é saber que ele teve uma vida feliz com vocês, uma família que o amou desde o início.
Um beijo carinhoso,
Stela e Petetecos

Wayne, Rodrigo e nossos felinos: Lola, Lilica, Smigol e Preta disse...

Que tristeza...
Sinto muuuito, muito mesmo, é muuuito difícil perder um amigo! Fico feliz por ele ter conseguido uma família amável....pense que vcs fizeram o melhor por ele, e com certeza ele viveu muito feliz com vcs...que essa estrelinha linda brilhe nos céus! Força! Fiquem com Deus!Bjs

Claudia disse...

Obrigada por todas essas mensagens de consolo e carinho.
bjs

Ana, Aprendiz de Anjo disse...

Claudia, Anjos de quatro patas são estrelas que Deus coloca na nossa vida para iluminar, hora ou outra elas precisam voar para iluminar o céu e alegrar a Deus. Beijos, abraço apertado em vocês.

Claudia disse...

Ana, lindas e verdadeiras suas palavras!
Obrigada!
bjs

Dri Andrade disse...

aHHH nãoooo, não fala isso.
Eu uma Dachshund vc sabe né?
Meu corãção fica apertado com essas coisas. So de ver as fotinhos dele ja fiquei toda querendo conhece-lo.

que pena, que Deus console o coração de vcs,sei que dói.

beijos