15/12/2010

Dá pra acreditar?



O que dizer de um dia em que pela manhã seu carro é rebocado e no final da tarde, é informado que deverá sair do imóvel que você habita, em um mês?
Pânico? Desespero? Raiva?
Pois isso aconteceu comigo. E meus sentimentos foram não só os acima citados, tive outros tantos que nem vale repeti-los aqui.
Sabe aquele ditado: "Se você acha que está ruim, tenha certeza que poderá ficar pior!" ?
Nos sentíamos assim no final daquele dia.  O marido e eu nem conseguíamos falar qualquer coisa, ficamos muito abalados principalmente com a última notícia.
Depois do contato com a administradora do imóvel, descobrimos que quem viria morar no apartamento era a filha da proprietária, ou seja, além da questão não ser financeira, não existia argumentos contra.
A filha também deveria deixar o imóvel onde morava e a urgência para a nossa saída se devia a isso.
Passado o primeiro momento de desespero em ter que procurar um novo apartamento quase no final do ano com muitas coisas que isso envolve como: final de ano escolar (minha filha estuda a 3 minutos de casa), festas de Natal e Ano Novo, além de encontrar um lugar que nos agradasse e se encaixasse em nosso orçamento, resolvemos deixar o desânimo para trás e fomos à luta.
Amigos e parentes foram envolvidos em nossa busca, além de porteiros, empregadas e quem mais encontrássemos pela frente.
Dois dias depois, uma amiga me indicou um apartamento que foi anunciado na própria portaria do prédio e outras oportunidades apareceram; umas boas e a maioria nem tanto.
Até que a gerente da administradora responsável pelo meu apartamento, me liga perguntando se nós poderíamos mostrá-lo para a futura moradora.
Sem objeções e com muita boa vontade (falo sério!), agendamos o encontro para depois do feriado, dia 17 de Novembro.
Recebemos aqui em casa, a filha da proprietária, marido e dois filhos.
Todos muito simpáticos, não só eles, como nós também.
Depois de tudo visto, nos despedimos, com a incrível sensação de que poderíamos nos tornar grandes amigos.
Louco isso não?
E acho que a recíproca foi verdadeira e importante na decisão deles.
Poucas horas depois eles ligaram para o meu marido dizendo que estavam desistindo de vir morar aqui.
O motivo alegado é que eles precisavam de uma casa maior,  ficaram satisfeitos em ver que estávamos cuidando muito bem do apartamento além de nos desejar boa sorte.
Dá pra acreditar?
Milagres existem!!
Ficamos tão felizes que nos dias que se seguiram, compramos muitas coisas para a casa, como flores, almofadas, novas toalhas e tapetes, como forma de agradecer a graça alcançada.

(Sobre o reboque do carro, tudo ficou resolvido no dia seguinte, ufa!)

9 comentários:

Andrea Sassaki disse...

Ai Claudinha, que perrengue, não????
Ainda bem que tudo deu certo e, como não daria para uma família como a sua???
Sorte? Milagre?? Nada! Vocês merecem, minha cara! Gente boa, só merece coisa boa! E fique dito!
Ontem, o carro da minha mãe também foi rebocado....kkkkkkk....ela esqueceu de pagar o licenciamento. Por isso, a continha que era de R$ 56, subiu para quase R$300....
Vivendo e apredendo...
Um beijo e um abração!!!!

Claudia disse...

Andrea,
Sabe que fizemos esse comentário, sobre merecermos uma boa notícia por sermos boas pessoas?
Sem falsa modéstia, eu e minha família somos pessoas corretas, educadas e ficamos muito felizes com o desfecho da história.
Mas também sei que nem sempre os acontecimentos nos favorece.

Como você disse, tudo é aprendizado.
bjs

Nice disse...

Claudia,,,
que sufoco menina...mas que bom que tudo deu certo pra você e sua família.
Um beijão enorme...se cuida.

Fernanda e Pink disse...

Nossa amiga... que situação hein? Me senti solidária porque há uns 6 meses atrás perdi um processo e fui obrigada a colocar minha casa a venda, mesmo não sendo justo... tb me senti meio perdida e ainda espero pelo meu milagre pessoal... rs
Beijos e boa sorte! Nada acontece por acaso.
Fer

Claudia disse...

Nice,
Pois é, incrível como tudo deu certo!
bjs

Fê,
E o desânimo no primeiro momento...levei uns dois dias para me recuperar, fiquei muito arrsada.
Encontrei um pouco de otimismo bem lá dentro de mim e acreditei que tudo daria certo mas nunca imaginei que seria assim, tão certo.
bj

Taís disse...

Menina, que dia hein?
Mas tudo está bem, quando acaba bem. O que tem que ser, é. Que bom que tudo acabou como vcs desejavam mesmo, essas coisas com imóveis são um transtorno...
bjos

Cristina Ramalho disse...

Nossa!!! Que coisa hein!! Passou uma tempestade na vida de vcs, mas enfim, passou... e com toda força e fé vcs sobreviveram, graças à Deus né... que de agora em diante vcs possam retomar suas vidas em paz, e ter um FELIZ NATAL!!! Esse sim será feliz... boa sorte!! bjos

Claudia disse...

Tais e Cristina,
Obrigada pelos comentários.
bjs

Silvia disse...

Cláudia... sem palavras... fui lendo e o coração ficou apertadinho até o final se feliz! :)
Quanta coisa! que bom que deu tudo certo, encontrar um outro lugar assim em tão pouco tempo é desesperador.
Passei para desejar um lindo ano novo, um 2011 cheio de ótimas realizações. E para agradecer a presença em tantos momentos... suas palavras sempre são acolhedoras, nem sei explicar.
Beijo grande, de toda família do Gatofru!